Ronaldinho Gaúcho, Luiz Carlos Prates e Machado de Assis

E aqui vou eu falar coisas que todos falamos, criticar o meu querido povo brasileiro, mas lembrem-se, sempre me incluo nesse bolo.

Até a 10 minutos atrás eu não sabia quem é Luiz Carlos Prates, numa pesquisa rápida no google e Wikipedia, vejo que se trata de um jornalista com comentários muitas vezes polêmicos (vale a pena dar uma olhada). Entretanto hoje escrevo em função do video que circula com um comentário seu sobre o fato de Ronaldinho Gaúcho ter sido agraciado com a medalha Machado de Assis, segundo o jornalista, “devido a importantes serviços à Seleção Brasileira” (não consegui averiguar). A notícia é velha, ocorreu em 11/04/2011, mas o video está correndo agora.

A grande questão é que o jornalista tem razão, citando Lobão, dizendo que o brasileiro tem que aprender a dar mais valor à meritocracia. Eu sempre digo que nós somos o contrário, nós valorizamos a coitadocracia. Se você é bom em alguma coisa que não seja futebol e bunda rebolando, é melhor ficar caladinho no seu canto se não quiser que a atenção das críticas se voltem contra você. Você tem um conta corrente tranquila, mora em um apartamento legal e tem um carro acima do popular? Alguma coisa aprontou, ou é “filho de papai” que teve a sorte de ter tudo na vida, ou ganha algum dinheiro às custas dos outros.

 

“O importante é competir e não ganhar!”

É sério? Não sei se educarei meus filhos assim, é importante sim competir, mas tem que se esforçar para ganhar. Só ganhar é importante? Não. No entanto temos que “dar o sangue” por isso. E não digo em esportes apenas, a idéia é metafórica. Vai estudar, tente fazer o seu melhor, não necessariamente o melhor da sala, mas o seu melhor. Pois às vezes ser o melhor da sala pode não ser possível (talvez você não seja um gênio e exista um nela), outras vezes ser o melhor da sala é pouco (talvez você seja o gênio e ser só melhor é pouco).

 

Ronaldinho Gaúcho e Medalha da Academia Brasileira de Letras

Isso é FODA! Seria o resumo do meu pensamento, mas bem, vamos pensar. Numa nação em que só se valoriza o futebol (e bundas), isso só reforça uma idéia de pouca importância dos estudos em nossos jovens. É simples, basta ser bom de futebol, o resto vem no trilho, posso me eleger deputado, posso ter cargos no governo, posso pegar qualquer mulher (ou uma mulher qualquer, sei lá) e até ganhar honrarias na Academia Brasileira de Letras! Estudar para quê? Vou é matar aula e jogar uma pelada…

Pena que não me falaram isso há uns anos atrás.

Bem o video está aí, e merece ser visto.

Marcado , , , , , , , .Adicionar aos favoritos o permalink.

Deixe uma resposta